quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Minha Sina



























É um amor tão frágil
Tão sujeito à tempestades
E ventos...

É um amor tão delicado
Que tenho vontade de segurá-lo
Com as duas mãos
Contra meu peito
Para que não se quebre.

É um amor tão forte
Como os ventos de um vulcão
Que leva tudo
Na sua passagem
Que traz medo, que assusta,
Mas que fascina.

É um amor tão estranho,
Tão lindo e tão tamanho,
Que chega a ser incompreensível.

Um amor assim
Como o nosso
É minha sina.
E sofrer tempestades,
Ventos e vulcões
É o meu destino.


Letícia Thompson

2 comentários:

  1. Olá Jô

    O Amor é sempre assim: frágil, forte,estranho, maravilhoso!

    Um abraço e votos de Feliz Natal

    ResponderExcluir